Banco de informações > Histoplasmose

 

Histoplasmose

A histoplasmose é uma zoonose causada por um fungo, transmitida por morcegos e aves. Possui alta taxa de infecção em áreas endêmicas (forma assintomática predomina – 90%). Sua ocorrência está associada a locais com alta concentração de fezes de morcegos (cavernas, minas abandonadas, túneis). O agente etiológico é um fungo dimórfico, Histoplasma capsulatum. Este fungo  ocorre naturalmente no solo e seu crescimento é favorecido por material orgânico como fezes de pássaros ou morcegos, em condições de umidade e calor.

Formas de Contaminação
A fonte de infecção é o morcego (as aves desempenham papel passivo, pois não eliminam o agente, mas suas fezes ajudam a proliferação da fase saprofítica). As vias de eliminação são as fezes, e transmissão ocorre através do contágio direto, via aerógena (inalação de pó). Ao se agitar fezes ressecadas desses animais, partículas contendo esporos do fungo espalham-se no ar como poeira. A infecção ocorre quando as pessoas inalam essas partículas. A doença pode ser muito grave se houve inalação de grande quantidade de esporos. Em cavernas onde se alojam  morcegos, as condições de calor e umidade podem levar a grande proliferação do fungo e a inalação de pó nestas áreas deve ser evitada.
Os mamíferos e homem são hospedeiros acidentais, pois não participam da manutenção ou transmissão da doença.

Sintomatologia
Os sintomas da Histoplasmose são:
Febre, "ínguas”;
Infecção pulmonar;
Úlceras nas mucosas e pele;
Leucopenia (diminuição do número das células de defesa);
Anemia.
A evolução da doença é crônica, especialmente em crianças e pessoas com idade entre 40 e  60 anos.

Profilaxia - Medidas Preventivas
Pessoas que precisam limpar fezes de pássaros ou de morcegos devem usar máscaras respiratórias capazes de filtrar partículas microscópicas (de até 2 micra de diâmetro), para reduzir o risco de exposição. Recomenda-se o uso de máscaras ou lenços úmidos sobre o nariz e a boca sempre que se entrar em locais onde se alojem pássaros ou morcegos.

Bibliografia
www.saude.rj.gov.br/Acoes/Histo.shtml