Banco de informações > Hepatite Infecciosa

 

Hepatite Infecciosa

Hepatite significa inflamação do fígado. Existem várias razões para o fígado estar inflamado, e nem sempre a causa é viral. Certas drogas ou medicações tóxicas, doenças imunológicas podem causar hepatite. A causa mais comum de inflamação do fígado é a hepatite viral. Quando o processo inflamatório está presente por mais de seis meses é chamado de hepatite crônica.

Formas de Contaminação
Hepatite “A”: A transmissão pode ocorrer através da água contaminada. Os indivíduos doentes podem transmiti-la pelas fezes, duas semanas antes até uma semana após o início da icterícia. A transmissão poderá ocorrer também pela transfusão de sangue, duas a três semanas antes e alguns dias após a icterícia. É uma doença endêmica no nosso meio.
Hepatite “B”: período de incubação: 45 a 160 dias. A transmissão é mais comum por via parenteral (instrumentos contaminados que perfuram a pele, como, por exemplo, injeções), principalmente pelo sangue.
A barata transmite hepatite, pois pode ser portadora do vírus, agente etiológico desta enfermidade.

Sintomatologia
No começo da doença aparecem perturbações das vias respiratórias, dores musculares, falta de apetite, dor de cabeça, mal-estar geral, febre. Outros sintomas mais característicos vão surgindo gradualmente.
Uma contínua sensação de náusea associa-se a certos sabores e odores e faz com que se rejeitem determinados alimentos. Os alimentos gordurosos, em particular, provocam total repugnância. O cansaço constante e a fraqueza se acentuam. Uma dor incômoda aparece do lado direito.
Em determinado momento, surge um sinal inconfundível: o 'branco' do olho está amarelo - é o primeiro sinal da icterícia. Durante alguns dias, a febre continua. Em seguida, vai desaparecendo e as perturbações digestivas, vômitos e náuseas se intensificam. O fígado incha e dói, quando palpado. A urina escurece. O exame clínico identifica a doença e os exames de laboratório, quando necessários, complementam o diagnóstico.

Profilaxia - Medidas Preventivas
higienização dos alimentos;
tratamento da água – os vírus “A” resistem aos métodos de cloração da água, porém a água fervida durante 10 a 15 minutos os inativa;
isolamento do doente – após aparecer a icterícia, a transmissão do vírus “A” pelas fezes ocorre na primeira semana e, pelo sangue, nos primeiros dias;
destino adequado dos dejetos humanos;
uso de seringa descartável;
uso adequado de sangue e derivados.